Breaking News

sábado, 16 de outubro de 2010

Vidigal diz que não é ódio querer mudar o Maranhão

Política - Depois de participar, como convidado, de uma reunião com os prefeitos do PSDB no estado de São Paulo, o ministro Edson Vidigal participa neste sábado em Timon, ao lado do deputado Chico Leitoa e do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, do lançamento da campanha de José Serra no município.
Na reunião de São Paulo, que teve a presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, foi reafirmada por Vidigal a unidade da coligação “O Povo é Maior”, no Maranhão, e de outros setores da oposição, na campanha de Serra no Maranhão.
- Estamos todos juntos e vamos mostrar para o Brasil que também existe um Maranhão independente – avisou.
Vidigal também repeliu a tentativa de classificarem a campanha tucana no estado de odienta, ao reunir os que proferem o discurso da oposição à família Sarney, no estado.
- Como ódio ? Será que é ódio querer tirar o Maranhão do atraso, do primeiro lugar em pobreza no País ? Será que é ódio ir contra à candidata de um presidente, que durante os mandatos de José Reinaldo e Jackson Lago proibiu até ministro de ir ao Maranhão ?
O ex-presidente o Superior Tribunal de Justiça disse ainda que espera a devida investigação por parte do Ministério Público Eleitoral, sobre as denúncias contidas no relatório produzido pela coligação liderada por Flávio Dino, que revelam dezenas de votos seqüenciais nos minutos finais da eleição para Roseana Sarney.
- É uma denúncia grave, já que a vitória da governadora no primeiro turno foi definida por menos de cinco mil votos e nas últimas urnas. É uma fraude contra a vontade popular, que caso constatada, não pode ficar impune – alerta o ministro. 
(J. Pequeno).

Nenhum comentário:

Designed By