Breaking News

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Indiciamento de Fernando pela PF atrai toda a 'grande imprensa'

Jornal Nacional, Record News, Band News, Estadão, Folha, O Globo, blogueiros e articulistas famosos destacam presença do filho de Sarney na PF e o indiciamento

Caso de Policia - Além do Jornal Nacional, Globo News, Band News, Record News e outros telejornais, todos os grandes jornais impressos do País destacaram, ontem, a presença do empresário Fernando Sarney para depor na Polícia Federal e o seu indiciamento por evasão de divisas. Blogueiros e articulistas renomados, como Josias de Souza, Ricardo Noblat e Cláudio Humberto, também se reportaram ao caso, que ganhou enorme repercussão nacional, superando, inclusive, o escândalo que envolve o secretário nacional da Justiça, Romeu Tuma Júnior (ver matéria sobre este assunto na página 5).

Na edição de ontem, o Jornal Pequeno publicou a íntegra das matérias divulgadas pelo Jornal Nacional e Portal do Estadão, de São Paulo. Hoje, para que os leitores tenham ideia da dimensão do caso publica-se as matérias divulgadas ontem pelos principais jornais brasileiros, além das notas dos principais articulistas.

FOLHA DE SÃO PAULO

PF indicia filho de Sarney por envio de dinheiro ao exterior

Advogado de Fernando Sarney confirma depoimento, mas diz ignorar decisão

Folha revelou em março que autoridades do Brasil foram informadas que empresário fez transações milionárias na China sem avisar o fisco

A Polícia Federal indiciou ontem (anteontem) o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), acusado de remeter ilegalmente dinheiro para o exterior.

Conforme a Folha revelou em março, as autoridades brasileiras receberam a confirmação do governo da China de que Fernando fez transações milionárias naquele país. Ele não teria declarado o dinheiro à Receita Federal.

O advogado do empresário, Eduardo Ferrão, confirmou que ele prestou depoimento, mas disse que não tinha informações sobre o indiciamento.

O indiciamento, por evasão de divisas e lavagem de dinheiro, ocorreu por causa de uma remessa de US$ 1 milhão feita por ele para uma agência do HSBC em Qingdao, na China.

O dinheiro saiu de uma conta em nome de uma “offshore” nas Bahamas, conhecido paraíso fiscal do Caribe, movimentada pessoalmente pelo filho do senador. A autorização da transação foi assinada de próprio punho por Fernando.

A pedido do Brasil, o governo chinês confirmou ao Ministério da Justiça não só a autenticidade do documento mas também a existência da conta nas Bahamas e a transferência do dinheiro para Qingdao.

Ainda em março, a Folha revelou também que a Suíça bloqueou uma conta de US$ 13 milhões movimentada por Fernando Sarney. Essa transação e outras operações realizadas pelo empresário continuam a ser investigadas pela PF e podem levá-lo a novos indiciamentos.

Segundo a Folha apurou, além de Fernando, foi indiciado um empresário piauiense que a PF acusa de ter participado do esquema ilegal de envio de dinheiro para fora do país.

Recursos no exterior não informados ao fisco podem ser fruto de sonegação de tributos, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

A operação policial (Boi Barrica, depois foi rebatizada de Faktor) já indiciou Fernando sob acusação de formação de quadrilha, gestão de instituição financeira irregular, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Ele nega as acusações.

A remessa para a China é alvo da Faktor. Em 2009, Fernando negou a movimentação. Laudo enviado pelo governo chinês para o Departamento de Recuperação de Ativos do Ministério da Justiça contradiz a versão do empresário.

A partir de autorização assinada por Fernando, autoridades chinesas rastrearam a origem do dinheiro e confirmaram que os recursos foram creditados na conta da Prestige Cycle Parts & Accessories Limited (pelo nome, uma empresa de acessórios de bicicleta), conforme ordem bancária.

Os investigadores brasileiros ainda não sabem qual a finalidade desse depósito. Acordos multilaterais permitem ao governo solicitar bloqueio e a repatriação de recursos enviados ilegalmente para fora do país.

(Leonardo Souza e Andreza Matais – Folha de São Paulo)

JOSIAS DE SOUZA

Filho de Sarney depõe à PF e é indiciado por evasão

Fernando Sarney, o filho de José Sarney (PMDB) que cuida dos negócios da família, prestou depoimento à Polícia Federal nesta sexta (7). Terminada a inquirição, foi indiciado. A PF o acusa de remeter dinheiro ilegalmente para contas bancárias mantidas no estrangeiro.

Deve-se a informação aos repórteres Leonardo Souza e Andreza Matais, da Folha. A investigação envolve a evasão de milhões de dólares.

O indiciamento se deu, porém, num caso específico, já esmiuçado pela PF. Refere-se à movimentação de US$ 1 milhão.

Segundo a PF, a verba migrou de uma conta aberta nas Bahamas, paraíso fiscal do Caribe, para uma agência do HSBC em Qingdao, cidade da China.

A PF apalpou o documento que autorizou a transação. Traz a assinatura do presidente do Senado. Acionado pelo Ministério da Justiça, o governo chinês confirmara autenticidade do papel e também a existência conta e a realização da transferência.

Para desassossego dos Sarney, a investigação prossegue. É acompanhada pelo Ministério Público Federal.

(Josias de Souza – Folha de São Paulo)

ESTADÃO

Polícia Federal indicia Fernando Sarney pelo crime de evasão de divisas

A matéria postada sexta-feira, à noite, no portal do ‘Estado de São Paulo’ é a mesma que o jornal paulista impresso utilizou em sua edição de ontem. Ela foi publicada na íntegra ontem pelo Jornal Pequeno, gerando a principal manchete do JP.

O GLOBO

Fernando Sarney é indiciado pela Polícia Federal

O empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi indiciado nesta sexta-feira pela PF pelo crime de evasão de divisas. Ele prestou depoimento, em São Luís, e não respondeu a nenhuma pergunta, segundo informações do G1 .

Ano passado, Fernando foi indiciado em três inquéritos por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, falsidade ideológica e gestão irregular de instituição financeira. A defesa do empresário nega todas as acusações.

A PF investiga uma suposta operação simulada de comércio exterior que envolve o empresário. A operação teria como objetivo a remessa ilegal de recursos para fora do país. A investigação é um desdobramento da operação Faktor (ex-Boi Barrica), da PF, que apura a existência de contas do empresário em outros países.

O suposto esquema simulava uma operação de comércio exterior com empresas brasileiras e chinesas de fachada. O contrato era registrado no Banco Central para o envio de dólares para a empresa exportadora na China, mas a mercadoria nunca era enviada ao Brasil.

(Ricardo Noblat – O Globo)

CLÁUDIO HUMBERTO

Justiça

A Polícia Federal acaba de indiciar o empresário e Superintendente da Mirante Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por evasão de divisas. Em um dos cinco inquéritos da Operação Faktor o empresário é acusado de enviar US$ 1 milhão para uma empresa na China em 2008 sem declarar a remessa à Receita Federal. Autoridades chinesas confirmaram a movimentação do empresário numa agência do HSBC, em Qingdao, na China. Em outros dois inquéritos da mesma operação, o empresário já foi indiciado por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, entre outros crimes. Superintendente da Mirante, Fernando assistiu na própria afiliada da Rede Globo à matéria que saiu em rede nacional no Jornal Nacional falando do seu indiciamento. E do silêncio no depoimento na PF, em São Luís.

(Cláudio Humberto)

Nenhum comentário:

Designed By