Breaking News

terça-feira, 16 de março de 2010

Alguém viu Roseana Sarney por ai?

Política - O Maranhão é hoje um estado sem governo. Roseana Sarney abandonou a administração e seus deveres para apenas criar manchetes e lutar por uma reeleição que já parece descabida à população. O desalento é geral dentro e fora dos muros de sua gestão. Em todos os setores, a crise ultrapassa os limites do inconcebível. Na quarta-feira da semana passada, a Polícia Civil anunciou uma greve. À primeira vista, não seria muito diferente de greves anteriores que fizeram os delegados, agentes, médicos do IML e outros. O inesperado é o motivo da paralisação: a falta de segurança e de meios para que os membros da corporação possam trabalhar. Se essa importante instituição policial do estado brada por segurança, o que podemos esperar, nós todos, que dependemos de sua proteção permanente? Pois bem, o desgoverno de Roseana Sarney, no máximo da ilegitimidade, indolência e descompromisso para com o cidadão, expõe todos os maranhenses a situações como esta.

E neste artigo não culpamos os policiais pela sinceridade de seus propósitos e de seus problemas, que devem ser muito graves. Nem mesmo o secretário. A única culpada é a governadora. Ela é que não é capaz de nenhum gesto, nenhuma palavra, nenhum arremedo de autoridade e de comando para debelar a gravíssima situação à que relegou os maranhenses.

Os fatos se sucedem. O responsável pela operação da Polícia Federal em Santa Luzia do Paruá, que impediu o assalto a uma agência bancária daquele município, declarou à TV Mirante que a PF tinha tomado a frente das ações dada à precariedade do sistema de segurança do estado. Sua afirmação é, na verdade, uma constatação do que já desconfiavam os maranhenses.

Neste panorama de medo, destaca-se o fechamento das igrejas na hora das missas vespertinas do domingo, por absoluta falta de segurança aos fiéis. E ninguém pode mais tirar dinheiro em agências bancárias, pois são incontáveis as narrativas de assaltos logo depois. A insegurança vai dominando a vida dos maranhenses. Uma vergonha, Roseana!

Será que ela vai tomar alguma providência ou restará aos policiais civis, como último recurso, ir à igreja e rezar para que consigam o apoio necessário para contornarem a situação?

E eu insisto: esta é uma questão crucial para quem pretende governar o Maranhão. Para ilustrar a desesperança que toma conta da polícia civil, basta tomar conhecimento do que disse o delegado Emanuel Bastos, da Vila Embratel, ainda sob impacto da morte do policial Sabino, na semana passada. Frases fortes, como "Eu nunca vi segurança como a nossa nesse estado do Maranhão. É uma hipocrisia que se fala em segurança nesse estado com um grande número de delegacias, como a de São Raimundo, do Anjo da Guarda, da Vila Embratel, todas com apenas dois homens na captura, sendo que a última tinha três e agora dois, com a morte do policial Sabino. Ninguém garante nada e "amanhã o vitimado poderá ser qualquer um: eu, você; ninguém está seguro".

Essas valorosas pessoas se sentem abandonadas pelo governo e a grande revolta explica o gesto extremo da greve.

O secretário Raimundo Cutrim trabalhou comigo e eu sei que nenhuma culpa lhe cabe e sim à governadora, que não o apóia como deve ser. Que governo!

E o pior é que esse é o quadro geral em todos os setores da gestão Sarney, principalmente em áreas essenciais, como Educação e Saúde, como bem sabe a população...

Na Saúde, não se sabe qual o limite do sofrimento que é imposto à população. Hospitais são fechados na capital e no interior, ou ficam sem verbas para funcionar plenamente. Esse fechamento sucessivo de importantes instituições de saúde acaba por sobrecarregar as de São Luís. Então, os meios de comunicação da família Sarney fazem tudo para jogar a culpa no prefeito João Castelo. E negam a ele o terreno pretendido para fazer um hospital fundamental, como será o moderno Socorrão, sonho e promessa de campanha do prefeito.

Mas a ação predatória não se restringe a nossa capital São Luís. Vejamos o e-mail enviado ao meu blog por João Carlos, morador de Presidente Dutra:

"Agora podemos ver como está a cara de nossa saúde, isso tudo acontecendo em São Luis e sem contar o que esta acontecendo em Presidente Dutra, no interior do estado. O hospital está praticamente abandonado pelo governo, não há funcionários em número suficiente para arcar com a demanda de pacientes que vêm de todo o estado, inclusive da capital. A limpeza está precária, fora o salário que está atrasado há mais de 15 dias. Isso tudo aconteceu desde que essa tal empresa colocada pelos Sarney, a ICN, assumiu nosso hospital. Clamo para que a população maranhense vote consciente e que dê a resposta que essa família merece. Desde já agradeço".

E não pára por aí. É também a área da Saúde que "administra" o Programa do Leite. Ele é uma das prioridades do governo de Roseana Sarney e faz parte dos tais programas de grande benefício social para a população de baixa renda, que, segundo Lauro Jardim, da Veja, serão a base da campanha eleitoral da candidatura de Roseana Sarney nas próximas eleições.

Pois vejam que o governo é tão descontrolado que são os próprios produtores de leite que estão custeando o programa, já que Roseana Sarney lhes impõe um brutal calote. Vejam a notícia: "Vários produtores de leite do sul do Maranhão que vendem seu produto para o programa Leite é Vida, do governo federal que transfere os recursos para o governo do estado, derramaram por volta das 8h da manhã desta sexta-feira, cerca de dez mil litros de leite em frente ao Palácio Henrique de La Roque, em protesto. Segundo os produtores, o pagamento da produção não está sendo realizado desde dezembro do ano passado. Eles estão com um caminhão carregado com cerca de 123 mil litros e prometem derramar mais, caso não haja um acordo".

Na Educação, o início do ano letivo foi adiado e os professores fazem greve, porque o governo está preenchendo as salas de aula com contratados, sem divulgar os salários que o sSindicato diz que são aviltantes. Uma bagunça!

Roseana Sarney está tão por baixo que, no documento assinado por Raimundo Monteiro e outros, em que solicitam ao PT que faça coligação com o PMDB para disputar o governo, eles não tiveram coragem de citar o nome da dita governadora em todo o documento; nem pedem a coligação com ela. Pedem que a coligação seja feita com o PMDB, PSB, PCdoB, etc, com qualquer um desses partidos, e na relação dos partidos a coligar não citam também o DEM, que no Maranhão faz parte dos partidos que a apóiam. Nunca vi nada mais deprimente. Que aliados são esses, que têm vergonha de citar o nome dela? Como seria esse apoio junto ao nobre povo?

Mas o melhor é atender a sugestão democrática feita por Flávio Dino. Um debate entre os dois promovido pelo PT com direito a perguntas dos filiados definirá quem é o melhor candidato. Só depende de Roseana Sarney aceitar a sugestão!

No mais, foram irresponsáveis ao citar o PSB, que jamais se coligará com o PMDB, e muito menos com Roseana Sarney. Todos sabem, e já está definido por decisão da Executiva, que o partido é oposição ao governo dela e com ela não fará acordo.

O PSB quer coligar-se é com o PT e o PCdoB, em apoio à candidatura de Flávio Dino para governador. É o que o Maranhão espera de nós e assim faremos.

Começo a ter dúvidas se realmente ela será candidata ao governo. É muito desinteresse e alheamento. Este, definitivamente, não é um perfil de candidato ao governo do Maranhão. Será?

O ex-governador José Reinaldo Tavares escreve para o Jornal Pequeno às terças-feiras.

Um comentário:

Policarpo disse...

Hoje eu me pergunto o mesmo. Onde estava o ex-governador José Reinaldo quando estava no cargo? Onde estava o ex-governador Jackson Lago quando estava no cargo? Onde está Roseana? Ora, a Governadora está aí, estampada nas viaturas da PM, na Refinaria de Bacabeira, no Viva Mulher...não é tão difícil encontrá-la, é?

Designed By