Breaking News

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

E ROSEANA SARNEY SEM PROPAGANDA?

Política - A Justiça mandou tirar do ar a mentira desvairada que Roseana queria massificar. Queria a crença de todos em que ela trabalhava e que estava transformando o Maranhão em uma "ilha" de prosperidade. Entretanto, a Justiça viu nas peças publicitárias que a realidade do seu governo passa longe, muito longe, daquilo que ela intenta propagandear. Como se não bastasse, detectou-se também que as referidas peças sofriam de vício insanável, já que privilegiavam um viés personalista, objetivando enaltecer Roseana Sarney, o que é proibido pela Constituição.

Mas, convenhamos: alguém sabe o que ela fazia? Como ninguém sabia, nem via nada ser feito, era imprescindível a mentira propagandista, afinal como viabilizar uma candidatura sem disfarçar a inércia total do seu governo? E além do mais, pode ser que ela ainda conservasse a ilusão de que há os que nela acreditam...

Agora, o que é pior: os milhões do povo maranhense que ela gasta com os comerciais, constituem tão somente uma transferência do dinheiro público para os cofres da família, pois os meios de comunicação que veicularam sua propaganda enganosa lhe pertencem. Em outras palavras: ela paga a si mesma com dinheiro público...

Na lógica deturpada da qual são pródigos, crêem-se geniais: fazer campanha antecipada com roupagem legal, porém mentirosa, e ainda embolsar algum. Coisas da família...

A Justiça assim fez a coisa certa, civilizadora e democrática.

O problema de Roseana Sarney e caterva é a total ausência de credibilidade. O que para outros poderia garantir uma eleição, para ela não adianta muito.

A "governadora" andou falando aos políticos que recebem o seu chamamento para uma audiência que estava se recuperando em Imperatriz e que já alcançava ali quase 30% de intenção de votos. Justamente ela que, com a sua falta de ação na região, quase motivou a separação do Maranhão em dois. Combinemos que ela até se esforçou, viajando várias vezes para a cidade e fazendo promessas de dezenas de obras e realizações. Mesmo assim, não conseguiu melhorar nada, como veremos adiante.

A informação que vem da região mostra-nos uma Roseana com apenas 14% de intenção de votos e, pasmem, uma rejeição de 77% de eleitores, que disseram nunca mais votar nela. Este é mesmo percentual dos que dizem que votarão em Jackson Lago. Em Imperatriz fica bastante clara a opinião do maranhense sobre os Sarney. Ou seja, Roseana ali assume em sua total inteireza, como uma maldição, a brutal rejeição de José Sarney da qual ela tenta se dissociar e faz de tudo com que não chegue até ela. Mais vai chegar.

Agora podemos compreender melhor a motivação daquelas propagandas que mencionei há pouco. Isto é, Roseana Sarney sabia que, ao veicular tal embuste na imprensa, agora proibido, ela estava fazendo na verdade a única coisa possível para ela, aquilo a que se acostumara na vida: enganar os maranhenses.

Pois bem, fala-se agora que ela voltará a Imperatriz para inaugurar os acessos à Ponte da Liberdade, iniciada no meu governo e concluída no governo de Jackson Lago. A ponte já foi inaugurada pelo governador antes de ser tirado do cargo. Aliás, ressalte-se, acessos totalmente modificados, muito piores e menos eficientes e bonitos que os que foram licitados no meu governo. Ao inaugurar tais acessos, ela tenta diminuir uma obra magnífica, verdadeiro cartão postal da cidade, prova viva de que Imperatriz, assim como a região tocantina e o Maranhão como um todo, só tiveram o que comemorar com o rompimento político com a oligarquia, que aconteceu no meu governo e que levou a grande derrota do grupo em 2006.

Vai ser interessante ver Roseana Sarney completamente desconfortável, inaugurando uma obra que ela nunca pensou em fazer, embora muito desafiada pelo governador Siqueira Campos do Tocantins. Ele se divertia desafiando-a. O melhor seria ela não ir. Ficará "mal na foto". Um atestado que confirma a sua índole e que servirá apenas para aumentar a sua rejeição, se isso for possível.

E vejam mais uma desse desgoverno: Roseana Sarney possui um verdadeiro repertório de "argumentos políticos", que vem usando diuturnamente para convencer prefeitos a votar nela nas próximas eleições. Esses "argumentos" são variados de acordo com o interlocutor. Para alguns, são promessas de recursos e convênios, principalmente para asfaltar ruas, que geralmente trazem votos.

Para outros, mais opositores da oligarquia, o jogo fica pesado. Alguns estão recebendo uma equipe de delegados que aportam nos municípios com ordens de investigar o prefeito e sua administração. Chegam requisitando documentos, farejando qualquer coisa mal posta para enfraquecer as convicções oposicionistas desses prefeitos. Seu crime na verdade é pertencer às oposições. Nunca aconteceu nada assim no Maranhão, nem parecido. Por fim, quando nada disso funciona, então é a hora dos tribunais. Sobretudo aquele, o eleitoral. Oito prefeitos oposicionistas já foram cassados.

E nesta sanha, seguem obstinados...

As oposições vão se reunir para decidir qual é o melhor caminho para enfrentar esse grupo de práticas medievais que tenta, em pleno ano de 2009, tomar o comando do estado pela barganha e pelas ameaças que compõem o grande elenco de intimidações de que lançam mão. Tudo isso escudados pelo enorme poder de imprensa que detém para si e que só se justifica, segundo palavras de José Sarney, para fazer política. Política do vale tudo, como eles a compreendem.

O que salva o Maranhão é a enorme determinação do povo do estado em não voltar atrás, em seguir em frente, em não se deixar dominar novamente. É isso que vai impedir a "família" de voltar ao poder. É isso que nos dá a certeza de que o Maranhão vai definir livremente o seu rumo, escolher o seu destino e finalmente ter a oportunidade de crescer e se desenvolver.

Para terminar, Lula parece que finalmente virá a São Luís. É inexplicável nunca ter vindo, como o presidente da República, a capital do Maranhão. E talvez essa seja a primeira e última. Só mesmo para constar... E não vem para inaugurar obra de Roseana, mas sim de um grupo privado multinacional.

Mas disso ninguém se admira... Onde estão as obras dela?

O ex-governador José Reinaldo Tavares escreve para o Jornal Pequeno às terças-feiras

Nenhum comentário:

Designed By