Breaking News

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Sarney diz que Venezuela é bem vinda ao Mercos.

"Sarney diz que Venezuela é bem vinda ao Mercosul, mas seu atual governo não"

Brasília - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), reiterou nesta sexta-feira sua posição contrária ao ingresso da Venezuela do Mercosul em consequência das práticas antidemocráticas adotadas pelo presidente Hugo Chávez. Apesar de considerar necessário ao país ingressar no Mercosul, Sarney disse que a cláusula democrática do bloco econômico precisa ser respeitada.

"A Venezuela é uma coisa, o governo da Venezuela é outra. A Venezuela será sempre bem-vinda ao Mercosul. Quando ele foi criado, o objetivo era atingir toda a América Latina e a América do Sul, principalmente. Mas o que está acontecendo é que o atual governo da Venezuela está tomando medidas que atingem a cláusula democrática", afirmou.

Sarney disse que a manutenção da cláusula democrática do Mercosul é essencial para o bloco. "Eu acho que essa cláusula é muito importante porque foi responsável pela redemocratização de quase todos os países da América do Sul. Ela é muito importante", afirmou.

Ontem, a CRE (Comissão de Relações Exteriores) do Senado aprovou o ingresso da Venezuela do Mercosul, mas a proposta ainda precisa passar pelo plenário da Casa. Caberá a Sarney marcar a data da votação da matéria, o que pode ocorrer já na semana que vem.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que vai pedir a Sarney para incluir na pauta do plenário o protocolo de adesão da Venezuela no bloco na próxima terça-feira.

Apesar da pressão de senadores oposicionistas contra a adesão do país presidido por Hugo Chávez no bloco econômico, o governo tinha maioria na comissão para garantir a aprovação do voto em separado de Jucá --favorável ao protocolo de ingresso do país no Mercosul.

"Não ampliamos a democracia isolando um país. Se existem problemas dentro da Venezuela, o remédio é abertura, é a posição do Brasil como país mais forte da região em poder ajudar nos entendimentos políticos", afirmou o líder.

Se o protocolo for aprovado pelo plenário do Senado, o Paraguai será o único país do bloco econômico que ainda não terá concluído a análise do ingresso da Venezuela no Mercosul. A Argentina e o Uruguai já aprovaram o protocolo de adesão, mas caberá ao Paraguai definir --uma vez que os quatro países-membros do Mercosul têm que avalizar o ingresso da Venezuela para que o país possa efetivamente integrar o bloco econômico.

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Nenhum comentário:

Designed By