Breaking News

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Grampo da PF indica que Sarney usou jornal e TV para atacar grupo de Jackson Lago

BRASÍLIA - O senador José Sarney (PMDB-AP) e seu filho Fernando Sarney aparecem em uma escuta legal da Polícia Federal discutindo o uso de duas empresas do grupo de comunicação da família - a TV Mirante (afiliada da Rede Globo) e o jornal "O Estado do Maranhão" - para veicular denúncias contra seus rivais do grupo do governador Jackson Lago (PDT).
O Maranhão vive uma acirrada disputa política entre Sarney, eleito presidente do Senado na segunda-feira, e Lago - que também é acusado pelo grupo do senador de utilizar a mídia local para atacá-lo.
Em uma das conversas, a cujo áudio a Folha teve acesso, Sarney liga para seu filho pedindo que ele levasse à TV acusações contra Aderson Lago, primo e chefe da Casa Civil do governador Lago, que derrotou a filha de Sarney, Roseana, em 2006. Como as emissoras de TV operam por meio de concessão pública, a lei 4.117/62 veda seu uso para fins políticos.
O grampo foi feito pela PF nos telefones de Fernando, principal alvo da Operação Boi Barrica, que apura movimentações financeiras de empresas da família Sarney no período eleitoral de 2006. Fernando sacou R$ 2 milhões nos dias 25 e 26 de outubro daquele ano, três dias antes do segundo turno. O senador não é alvo do inquérito. Procurados pela Folha, Sarney e Fernando não quiseram se manifestar sobre o assunto.
Em um diálogo de 17 de abril de 2008, os dois tratam de uma denúncia publicada num blog do Maranhão contra Aderson e seu filho, Aderson Neto. Segundo o blog, Neto teria se envolvido em desvio de recursos públicos de convênios firmados entre a Prefeitura de Caxias (MA) e o governo estadual.
Na conversa, Sarney manda Fernando - que dirige o grupo de comunicação da família - levar ao ar na TV Mirante uma reportagem sobre o caso, ressaltando que Aderson sempre o atacou e que o insultou de "maneira brutal" num artigo. Fernando dá a entender que foi ele quem vazou a informação contra Aderson para o blog, e que já estava preparando reportagens sobre o tema tanto na TV quanto no jornal da família.
Sarney provavelmente se referia a um artigo publicado por Aderson no "Jornal Pequeno" e em "O Imparcial", no dia 15 de maio de 2007. No texto, Aderson chamou Sarney de "velho oligarca" e disse que luta contra o grupo do ex-presidente desde 1990, tendo feito "algumas das denúncias que mais incomodaram aquele que desejou ser o dono do Maranhão".
FONTE: J. PEQUENO

2 comentários:

Anônimo disse...

Não consigo imaginar como um homem que é senador pelo Amapá há anos, e que há pelo menos oito anos ninguem de seu grupo governa o Maranhão cause tanta preocupação!Desculpa de quem está no poder para justificar sua incompetência? Discurso para ganhar eleição? Acho que Já tá na hora dos governos legitimados e quem tem a caneta nas mãos deixarem de papo furado e arroxar o burití... Senão vira coisa igual aquela conversa do Maranhão do Sul, do dinheiro de serra pelada e etc...
Quanto ao Jornal pequeno e o grupo Bogéia que recebem a bagatela de mais de R$ 500,000,00 todo mês (Dinheiro do contribuinte), tem que agradecer ao Sarney! Se ele morrer, vão viver de que? Vão escrever o que?
Vamos trabalhar!!! Dois anos e uns quebrados de governo, e nada...

Anônimo disse...

Concordo com o amigo aí de cima!
Até agora o velhinho não cortou a fita de nada! Toda vez que vem aqui é só pra festa! Sarney já não é página virada? Ou estamos tentando formar um novo "grupinho" de donos do Maranhão?
E essetal de Jornal pequeno já tá ficando chato! O Sarney aparece todo dia na capa! Que será que está pagando? Dou um doce de leite para quem responder! ogaL noskcaJ!!
Assina: Tô ligado

Designed By